Entry: Intervencionistas e golpistas Sunday, February 14, 2016



Você sabe a diferença entre intervencionistas e golpistas?

A diferença é que um dos grupos leu a constituição e descobriu que ela pode ser interpretada de um jeito que autoriza a intervenção militar mesmo contra a vontade do presidente da república (que é o chefe das forças armadas). Já o segundo não leu a constituição, ou leu mas não se importa, e deseja uma intervenção militar sem se preocupar com formalidades legais.

Ou seja, não é uma diferença ideológica, mas psicológica: um grupo se importa com o que as pessoas pensam, o outro não. (Ou talvez seja para evitar processos. Se uma pessoa perde uma intervenção militar de acordo com a constituição, ela pode ser acusada de alguma coisa?)

Tirando essa diferença, os dois grupos são iguais: eles acham que os militares são capazes de consertar os erros dos políticos.

Coisa de que eu duvido muito, considerando o que os militares têm dito por aí, considerando como eles se comportam no nesses tempos de PT, considerando como eles governaram nos últimos 10 anos do regime militar, pelo menos.

E é só porque eu duvido da capacidade dos militares de consertarem os erros dos políticos que eu não sou golpista, nem intervencionista. Se eu não duvidasse, não me importaria nem um pouco rasgar essa constituição horrível que o Mário Covas, o Ulisses Guimarães e o Bernado Cabral impuseram ao Brasil (notem que o PT nem teve muita coisa a ver com isso, é coisa de esquerdista "moderado" e da falsa direita que quer agradar a esquerda). Mas eu duvido, e por isso não apoio o golpe. Nem uma intervenção constitucional.

Agora, não pensem que eu acho esses políticos que vão ficar no poder, de onde não sairão, exceto pela improvável ação dos militares, a melhor alternativa. Não. Não espero mais dos políticos que dos militares.

Então, é isso: Não vale a pena lutar pela volta dos militares, e não vale a pena lutar pela permanência dos políticos. E exigir respeito à constituição é, gostem ou não, exigir que os políticos continuem no poder. Não vejo em que tucanos e petistas sejam melhores que os militares, não vejo em que militares são melhores que tucanos e petistas. Não apoio nem um nem outro e não acredito nessa constituição, como não acredito que resgá-la seja melhor.

Então, não tem solução (além de deixar o Brasil, o que não posso fazer porque estou velho demais e tenho filhos)? Bom, solução tem. A pessoa deve tentar melhorar seu próprio nível cultural para tentar entender melhor a situação do Brasil e convencer outras duas ou três pessoas a fazerem o mesmo. Se tiver sorte, serão quatro pessoas que melhoraram de nível. Se essas quatro pessoas repetirem o processo, então serão quase vinte pessoas que melhoraram de nível. Depois, serão cem, depois quatrocentas, depois umas mil e quinhentas, e um dia veremos que somos maioria no Brasil e que os intelectuais de esquerda, que impuseram a divisão política entre tucanos e petistas, com apenas os militares como uma alternativa muito pouco atraente (não importa se legal ou não), já não convencem ninguém.

É uma solução que exige muita paciência e boa vontade, porque levará muito tempo, e também porque sempre haverá o risco de encontrarmos pessoas malvadas ou simplesmente idiotas que não entenderão ou fingirão nada entender e, se essas pessoas idiotas ou malvadas fizerem alguma coisa, será para atrapalhar. Mas não vejo solução melhor.

   0 comments

Leave a Comment:

Name


Homepage (optional)


Comments